A cultura da bicicleta

O ciclo da vida

O ciclo da vida

A coisa mais marcante que vi aqui nos Países Baixos é, sem dúvida, a cultura da bicicleta. Mais do que os moinhos de vento, os klomps (os sapatos de madeira) ou mesmo o hering (arenque) com cebola, bicicleta é a vida deste povo. Eu cheguei a pensar que a invenção era neerlandesa. Na verdade é inglesa. Porém, mais do que os ingleses, os Países Baixos têm muitas, mas muitas ciclovias. Parte do motivo é a planura deste país. As leis de trânsito são específicas e as bicicletas levam sempre vantagem. Seja no semáforo, em cruzamentos e até nas estradas. De todas, com certeza, a prioridade nos cruzamentos é o que mais levei tempo para me habituar. O medo de um carro passar reto pela rotatória ou rua e me atropelar é algo meio que instintivo para a gente que não está acostumado a essa “mordomia” dos camelos. Mas toda benécia é sempre acompanhada de deveres. É dever do ciclista fazer sinal para indicar mudança de direção. Também é dever andar com luz frontal e traseira ligadas durante a noite, bem como andar sempre pelo lado direito da rua, a não ser que a ciclovia tenha o sinal de faixa de mão dupla. A bicicleta para trajetos curtos de 3 ou 4 km é vantagem total. Chega-se antes que o carro, com certeza. Todos os lugares têm locais para se prender a bicicleta. Falando em ciclovias, elas existem para tudo que é lugar. São bem cuidadas, sinalizadas e variam de material do piso. As piores são aquelas que são feitas de pequenos paralelepípedos. Normalmente as ciclovias são marcadas com cor vermelha e possuem sinalizações de quem tem a preferencial, na forma de uma linha de triângulos de ponta cabeça. Em alguns lugares mais movimentados, as esquinas são equipadas com sensores no chão. Após as 19h, mais ou menos, quando diminui o movimento de carros na rua, os semáforos para bicicletas ficam verdes quando se aproxima deles. Realmente, muito legal. Quisera que o Brasil tivesse coisas assim… Por que comentei sobre isso? É que estou esquecendo já tem um tempo de contar como é essa experiência por aqui. Se alguém for visitar os Países Baixos, não precisa comprar bicicleta. Praticamente toda estação de trem tem bicicletas para alugar. Em algumas cidades mais turísticas, existem serviços específicos de aluguel de bicicleta. Na ilha de Texel (lê-se “têssel”), por exemplo, pode-se alugar uma para o dia inteiro por seis euros. Essa ilha é o bicho para se pedalar! Se puderem visitar os Países Baixos no verão, passeio de bicicleta é imperdível!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s