Passos de bebê

Torre da Catedral de Sint Jan
Torre da Catedral de Sint Jan

Se ontem rendeu pouco, hoje rendeu menos ainda. A parte curiosa é que rendeu pouco, mas com “qualidade”! Eu sei, eu sei, meio que clichê. Fato é que, de repente, dei-me conta que de fato faltava algo importante no meu trabalho. Levou um dia inteiro para sacar isso. Caiu a ficha depois de negar tanto aos professores que aquilo não estava errado. Pois é, estava. Orgulho ferido e engolido goela abaixo, caquinho de vidro com cola, ataco com um “poeminho” de Mário Quintana.

Este poema foi feito depois da Academia Brasileira de Letras ter negado a Quintana, pela terceira vez, uma cadeira junto aos “notáveis” da literatura. Triste. Afinal, para um lugar que tem Sarney e Paulo Coelho, não está parecendo um lugar digno para este gaúcho ilustre. Dá-lhe, Quintana!

Poeminho do Contra

Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão…
Eu passarinho!

(Prosa e Verso, 1978)

Anúncios

2 pensamentos sobre “Passos de bebê

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s