O Mac OS Leopard

Mac OS X

Mac OS Leopard

De todas as gratas surpresas que eu tive (e o aspecto que mais me preocupava) foi conhecer o sistema operacional do Mac, denominado de Snow Leopard. Mudar de sistema operacional é algo sempre complicado, pois tudo mais que está instalado em seu computador vai precisar de ajustes. Assim, da mesma forma que o pessoal torceu o nariz para a mudança do Windows XP para o Vista, acreditem-me, passar do Windows para o Mac é todo um aprendizado novo. Duas coisas me motivaram para reaprender as coisas: 1) saber que o novo Mac OS foi baseado no sistema operacional Unix; 2) atender às minhas necessidades computacionais domésticas de foto, música e pacote Office. Eu não recomendo ter um Mac no trabalho. A maioria do povo com quem trabalho usa Windows e sair desse padrão é dor de cabeça na certa. Mas vamos a o que eu achei no Leopard.

Unix significa multitarefa, segurança nas permissões dos arquivos, familiaridade com sistemas multiprocessados e muita estabilidade. Algumas características do Mac OS lembram o Linux, como os quatro desktops virtuais e a forma de instalar os programas. A instalação de programas foi a coisa mais interessante que eu vi. Usa o mesmo sistema de “pacotes auto-instaláveis” de distribuições Linux como o Red Hat, mas melhorado. Comparado ao Windows, é muito bom ver que não se criam “registros” no sistema. Assim, para instalar e desinstalar um aplicativo, não fica nada para trás, não deixando o sistema incrementalmente lento como no Windows. No Mac OS, basta jogar o ícone fora e pronto, o aplicativo está desinstalado.

Não tem antivírus no Mac OS. Não que não exista a possibilidade de se infectar, mas ela é bem menor. Tomando certos cuidados básicos, como não abrir documentos desconhecidos ou acessar websites estranhos, não ocorre infecções desastrosas. O “core” do sistema é bem protegido e a gestão dos danos é bem menor. Criar um sistema operacional em cima de uma solução bem conhecida e mais que testada (praticamente TODOS os servidores de grande porte – e sérios – usam Unix) garante longa vida para os produtos que forem criados para este sistema operacional. Não se reiventou a roda.

O Unix casa muito bem com processadores de mais de um núcleo. Além disso, utilizar processadores Intel de 64 bits ajuda muito. O sistema processa muito mais por unidade de watt despendida. E processa eficientemente, já que o Unix faz o balanço de carga de processamento entre vários núcleos. Quem está ocioso recebe mais trabalho. Além de múltiplos núcleos, o Unix é um multitarefa chamado de “multithreading”. Cada “processo” é encapsulado de maneira que nunca tem acesso direto aos recursos computacionais e, ao mesmo tempo, garante completo isolamento dos demais processos. Dessa forma, se um aplicativo trava, o computador não congela ou gera aquelas telas azuis do Windows. É possível simplesmente “matar” o processo problemático e começar de novo, sem necessidade de reinicializar o sistema a fim de liberar um pedaço da memória RAM que ficou “linkado” com o processo que parou. Mais pontos para o Mac OS.

Fora esses aspectos técnicos, o Mac OS inicializa em menos de um minuto e desliga em meros nove segundos. Isso realmente me impressionou. O meu laptop HP leva cerca de dois minutos e alguma coisa para me deixar clicar em algum ícone e trabalhar. Ainda assim, os primeiros minutos de “funcionamento”, o Windows faz zilhões de gerenciamentos. Atualiza registros internos, inicializa programas em segundo plano, verifica periféricos USB, carrega drivers e por aí vai… Portanto, ele continua lento por outros bons dois minutos ainda…

A minha dificuldade maior foi saber a “mecânica” da coisa para instalar programas, as teclas de atalho (o CTRL funciona diferente do PC), conhecer o “Dock”, personalizar o sistema e, claro, como fazer certos equipamentos que eu tinha no Windows (câmera fotográfica, celular, PDA, scanner etc.) funcionar no danado do Leopard. Já lhes digo, nem tudo funciona. Inclusive ver simples arquivos WMA, WMF, AVI… Tudo que é Microsoft, tem muito pouco suporte no Leopard. Até a versão Office para Mac é diferente da versão para Windows. Outra coisa que me chateou foi não poder usar webcam no MSN. Mas, existe uma solução para problemas mais graves, i.e., quando de fato não roda no Mac e se precisa do Windows. O Snow Leopard permite dual-boot. Com isso, é possível instalar um outro sistema operacional no Mac e, quando inicializado o sistema, escolher por qual sistema operacional se quer trabalhar. Tudo graças ao fato da Apple largar a mão de usar um processador proprietário e adotar o Intel.

Enfim, a experiência com o Mac tem sido muito boa para mim. Organizar as minhas fotos, as minhas músicas e poder usar o MS-Office no meu Mac de maneira estável, rápida e confiável é fantástico.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s